Tratamento menos invasivo para diabetes: como fazer

A cirurgia bariátrica é reconhecidamente eficaz para tratar o diabetes tipo 2 em pacientes obesos, mas uma nova técnica tem se destacado por ser menos invasiva e ter sucesso semelhante ao da cirurgia. É a chamada “exclusão duodenal”, que diminui a resistência à insulina e pode ser feita por endoscopia ou por vídeo. Um estudo realizado pelo Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo, aponta que o método conseguiu reduzir de forma significativa, em um ano, os índices de glicemia de 75% dos 16 pacientes submetidos ao procedimento. Conheça Tratamento menos invasivo para diabetes: como fazer.

Tratamento menos invasivo para diabetes: como fazer (Foto: Divulgação)
Tratamento menos invasivo para diabetes: como fazer (Foto: Divulgação)

Tratamento menos invasivo para diabetes: como fazer

A cirurgia bariátrica, popularmente conhecida por “redução de estômago”, aumenta a chance de regressão do diabetes tipo 2 em pacientes obesos e diminui as chances de complicações da doença em comparação ao tratamento convencional medicamentoso. Porém, pesquisadores desenvolveram uma nova técnica, criada com base na cirurgia bariátrica, que se caracteriza por ser bem menos invasiva e com sucesso semelhante.

Lute contra a obesidade (Foto: Divulgação)
Lute contra a obesidade (Foto: Divulgação)

Técnicas para combater diabetes

A técnica chama-se “exclusão duodenal” e consiste em implantar um dispositivo para revestir o duodeno e anular a função dessa parte do intestino no processo digestivo. Quando a comida não tem contato com a parede do intestino, o órgão para de fabricar hormônios nesta etapa e melhora a produção de insulina pelo pâncreas. Portanto, o método é indicado quando ainda é possível reverter a função pancreática, em pacientes que tomam medicamento e não conseguem controlar a doença.

Manter o peso em dia é uma boa estratégia para não engordar (Foto: Divulgação)
Manter o peso em dia é uma boa estratégia para não engordar (Foto: Divulgação)

Problemas gastrointestinais

Tratamento menos invasivo para diabetes: como fazer e formas de lidar com esse mal.O procedimento pode ser realizado por endoscopia, nos casos menos graves do diabetes tipo 2, e por videolaparoscopia, nos casos mais complexos. A técnica é quase livre de efeitos colaterais, mas é possível acontecer leves problemas gastrointestinais, como náuseas e cólicas. O dispositivo já é comercializado na Europa e no Chile, mas ainda não é autorizado no Brasil. Mesmo assim sabe-se que seu custo benefício é uma outra grande vantagem.

Tratamento menos invasivo para diabetes: como fazer (Foto: Divulgação)
Tratamento menos invasivo para diabetes: como fazer (Foto: Divulgação)

Forma eficazes para manter os cuidados contra diabetes

Vale destacar que técnicas mais invasivas são mais eficientes. Portanto, a cirurgia bariátrica ainda é mais eficaz e trará mais benefícios a longo prazo do que a exclusão duodenal, que é menos invasiva. O tratamento é reversível e dura um ano. É recomendável que o dispositivo seja retirado nesse período e recolocado depois de dois meses. Além disso, se o procedimento for eficiente e trouxer benefícios, o médico saberá que a cirurgia bariátrica também será e poderá indicá-la.

 

/* */