Relação entre diabetes e problemas no coração

Quando uma pessoa adquire diabetes, ela fica mais propensas a outras doenças, pois o organismo do diabético desenvolve fatores de risco, como a hipertensão, que, por sua vez, é a principal causa de infartos. Por isso é importante entender a Relação entre diabetes e problemas no coração para se conscientizar da importância de mudar o estilo de vida para manter o coração saudável ou aprender a prevenir/controlar a doença, evitando outros males à saúde.

Relação entre diabetes e problemas no coração

 

Relação entre diabetes e problemas no coração

Estudos apontam que pessoas com diabetes tipo 2 têm até seis vezes mais chances de ter um infarto se comparadas ao restante da população. Além disso, a tendência é que os infartos sejam fatais com mais frequência nos diabéticos. As mulheres precisam de mais cuidado ainda, pois as diabéticas têm mais que o sobro de chance de sofrer infarto do que os homens diabéticos.

coração

O diabetes ocorre quando aumenta a concentração de glicose no sangue, pois as células não a absorvem da maneira correta para utilizá-la como fonte de energia para o corpo, já que a insulina também não age da maneira correta. Esse acúmulo de açúcar (glicose) no sangue provoca o aumento da formação de placas de gordura, gerando coágulos. Esses coágulos podem obstruir os vasos ligados ao coração, ao cérebro e aos membros inferiores, por exemplo, causando infarto ou AVC (derrame).

Dados apontam que, pelo menos, metade dos diabéticos possuem também hipertensão (pressão alta), que é uma das principais causas de infartos, pois a pressão arterial elevada força o coração a trabalhar mais e, enfraquecendo-o com o tempo, e aumenta o desgaste das artérias.

pressão

As doenças cardiovasculares é uma das principais causas de morte no Brasil. Como o diabetes apresenta riscos para desenvolver esse tipo de doença, um bom caminho é se prevenir contra o diabetes e mesmo saber controla-lo, caso já o tenha desenvolvido.

Para evitar o diabetes, recomenda-se eliminar os fatores de risco, como excesso de peso (principalmente na região abdominal), tabagismo, sedentarismo, alimentação desequilibrada, além de avaliar a questão da hereditariedade e da hipertensão.

Se a pessoa já possui diabetes, a orientação é controlar os níveis de pressão, do colesterol e da glicose, o que diminui os riscos de infarto e AVC. É fundamental também manter uma dieta saudável (rica em fibras e alimentos integrais, evitando álcool, doces e gordura) e praticar atividades físicas regularmente. Tudo isso, claro, acompanhado por profissionais especializados e com a realização frequente de exames.

 


/* */