Entenda a relação da gordura abdominal e do diabetes tipo 2

Gordura corporal não é bem-vinda nem por conta da estética muito menos por conta da saúde. Quando se fala em gordura acumulada na barriga, então, o assunto fica ainda mais sério, pois esse tipo de gordura aumenta o risco de desenvolver doenças, como o diabetes, além de problemas no fígado e no coração. Entenda a relação da gordura abdominal e do diabetes tipo 2.

Entenda a relação da gordura abdominal e do diabetes tipo 2 (Foto: Divulgação)
Entenda a relação da gordura abdominal e do diabetes tipo 2 (Foto: Divulgação)

Entenda a relação da gordura abdominal e do diabetes tipo 2

O sedentarismo e a obesidade estão entre os principais fatores de risco para desenvolver a diabetes. Quanto ao ganho de peso, é preciso ainda mais cuidado quando a gordura se concentra na região abdominal, pois isso prejudica o funcionamento do pâncreas, órgão responsável pela produção de insulina. De acordo com especialistas, deve-se ligar o alerta quando as mulheres atingem mais de 80 cm de circunferência abdominal e os homens, mais de 94 cm.

Cuidados com a gordura em excesso é sinal de saúde (Foto: Divulgação)
Cuidados com a gordura em excesso é sinal de saúde (Foto: Divulgação)

Engordar é um problema

O problema acontece porque, quando o paciente engorda, as células que se acumulam na região abdominal acabam produzindo hormônios ruins, que se espalham pelo corpo e prejudicam a ação da insulina – hormônio fundamental para o metabolismo de carboidratos, carregando o açúcar dos alimentos no sangue para dentro das celular, onde ele será usado como energia para o corpo.

 

Veja como eliminar a gordura abdominal (Foto: Divulgação)
Veja como eliminar a gordura abdominal (Foto: Divulgação)

Problemas com a insulina

Quando a ação da insulina é prejudicada, o pâncreas nota a dificuldade do organismo em levar o açúcar para as células e acaba produzindo mais insulina e, por isso, fica sobrecarregado e pode vir a falhar. Essa mesma sobrecarga pode ocorrer quando da ingestão excessiva de gordura e açúcar.

É importante ressaltar que a pessoa não precisa ser obesa para correr o risco de desenvolver o diabetes tipo 2; basta ter estar acima do peso e ter aquela e ter aquela gordura concentrada na barriga, a famosa “barriguinha”, para desencadear o surgimento da doença.

Por isso a importância de controlar os quilinhos a mais, como sempre recomendam os médicos, praticando atividades físicas com regularidade e mantendo uma alimentação saudável – sem a ingestão excessiva de carboidratos, açúcares e gorduras, por exemplo.

Acabe com o exagero de gordura (Foto: Divulgação)
Acabe com o exagero de gordura (Foto: Divulgação)

Tipos de gordura abdominal

Existem dois tipos de gordura abdominal: visceral, é a mais perigosa e se esconde entre as vísceras; e a subcutânea, que fica sob a pele e está menos entranhada aos órgãos. Para identifica-las é simples: se você deitar e a barriga “se espalhar” para os lados, é a subcutânea; mas se ela ficar rígida, é a visceral. Ambas devem ser combatidas, desaparecendo ou diminuindo, com mudanças no estilo de vida.