Curar Diabetes com Células Tronco: Como entrar na lista

Algumas descobertas mais recentes trazem resultados surpreendentes para pesquisas com células-tronco e devido a tanto sucesso, vamos falar um pouco mais sobre esse tema, ou melhor, como curar diabetes com células tronco. Essa pesquisa foi divulgada recentemente pelo Dr. Eduardo Couri que é um dos lideres da pesquisa e divulgou a mesma durante uma palestra no Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia. Saiba mais sobre as células-tronco e seus benefícios.

Curar Diabetes com Células Tronco:

Curar Diabetes com Células Tronco

Um dos resultados com células-tronco que foi apresentado pelo Dr. Eduardo, foi o “Transplante Autólogo de Células-tronco Hematopoéticas em Pacientes com DM1 Recém-Diagnosticado”. Para esse resultado é preciso realizar uma coleta das células-tronco e depois congelá-las. Somente depois de duas semanas é que se pode fazer a imussupressão. e assim destruir o sistema imunológico considerado “defetuoso” de um diabético. “É como se fosse um desligamento do sistema imunológico, com quimioterapia, em ambiente hospitalar, usando drogas como ciclofosfamida e globulina antitimocitária endovenosas, durante cinco dias”, explica o doutor.

De acordo com o médico, o sistema imunológico é “religado” com as células-tronco hematopoéticas. Porém esse tipo de cirurgia só é realizada em pessoas com idade entre 12 a 35 anos, ou seja, para aqueles que ainda estão no estágio inicial de diabetes e que tenham descoberto a doença com menos de seis semanas.

celulas tronco

Células-tronco Mesenquimais

O segundo resultado apresentado é com o uso das células-tronco mesenquimais e nesse casso elas são retiradas da medula óssea de um parente que seja de primeir grau do paciente. Segundo o médico, essas células tem o poder de bloquear o fenômeno da autoimunidade e de promover a regeneração de células beta, revertendo o diabetes tipo 1.

O processo é simples, o doador irá receber a anestesia geral para que seja realizado a coleta, depois as células são proliferadas em laboratório e somente depois o paciente recebe essas células por meio de infusões endovenosas. Segundo o doutor, esse processo é muito simples e o paciente não precisa ficar internado por vários dias. Depois que essas células são implantadas, elas migram até o tecido inflamado (no caso o pâncreas) e lá se instalam.

Esse procedimento também só pode ser realizado e pessoas com idade entre 12 a 35 anos e com menos de quatro semanas de diabetes. “Nesse primeiro momento, estamos trabalhando com diagnóstico recente de diabetes, mas queremos, em breve, dependendo dos resultados, realizá-lo em pessoas com longa duração, que é a maioria”, afirma o doutor.

20140207080657406448u

Como encontrar essa cirurgia

Informe-se com o seu médico sobre a possibilidade em realizar essa cirurgia e se a mesma existe em locais próximos a você e se caso você se encaixa no quadro mais severo de diabetes, continue fazendo o tratamento normalmente, como de costume e aguarde até novas pesquisas com células-tronco sejam realizadas e o seu efeto seja comprovado.

/* */