Aldosterona: O que é, impactos com Diabetes

Para quem não conhece, o aldosterona é um hormônio que está localizado na glomerulosa do córtex das glândulas suprarrenais, ou seja o alvo são os rins e a principal função é regularizar o balanço eletrolítico. Para quem deseja saber o que é aldosterona e quais os impactos que a mesma causa com indivíduos com diabetes, saiba mais sobre o assunto.

Aldosterona: O que é, impactos com Diabetes

O que é aldosterona

Já dissemos que aldosterona se trata de um hormônio que se encontra as glândulas suprarrenais e esse hormônio produz algumas ações fisiológicas como por exemplo:

Aumento da natremia (concentração de sódio no sangue)

  • Transporte ativo de sódio da célula tubular renal para o espaço extracelular
  • Reabsorção passiva de sódio do filtrado urinário

Diminuição da calemia (concentração de potássio no sangue)

  • Aumento da reabsorção de cloro do filtrado urinário
  • Aumento da excreção de potássio para o filtrado urinário

Aumento do pH do sangue ou alcalose

  • Secreção de ions de hidrogênio para o filtrado urinário

Aumento da pressão arterial e da volemia (volume de sangue circulante)

  • Aumento de reabsorção de água

A quantidade de sódio no sangue é controlada por meio do hormônio aldosterona. A quantidade de sangue baixa e aumenta a secreção de aldosterona. Essa secreção por sua vez é regulada na renina e se a pressão sanguínea diminuir ou se houver uma concentração maior de sódio no sangue, os rins liberam renina no sangue.

Para quem não sabe, a renina é uma enzima que catalisa a formação de proteínas sanguíneas, mais precisamente uma com o nome de angiotensina e esta provoca a diminuição do calibre dos vasos sanguíneos e com isso ocorre o aumento da pressão arterial, o que estimula a secreção de aldosterona.

Mas afinal, qual a relação da aldosterona com a diabetes, pois bem, vamos explicar. A desidratação acontece quando há eliminação de água do corpo em maior volume do que realmente foi ingerido e essa deficiência de água acaba por provocar o aumento na concentração de sódio no sangue.

Assim como os vômitos, a diarreia, o uso de diuréticos, o excesso de calor, a febre e uma diminuição do consumo de água podem conduzir à desidratação. Algumas doenças como no caso da diabetes mellitus e a diabetes insipida podem também ocasionar em uma desidratação por perda de água.

Além disso, o aldosterona interfere diretamente no controla da PA, que é o tecido adiposo que produz outros hormônios como a leptina, resistina, adiponectina e citocinas (TNF-alfa, PAI-1, interleucinas) que atuam na sensibilidade à insulina, função endotelial e/ou na hemodinâmica, contribuindo para aterogênese e risco de fenômenos trombo-embólicos.