5 dicas para mulheres diabéticas que querem ser mãe

A gravidez de uma mulher diabética está associada com maiores riscos tanto para a mãe como para o filho. Mas com os devidos cuidados e com o acompanhamento médico adequado, é perfeitamente possível que a mulher diabética tenha uma gravidez tranquila, um parto normal e um bebê saudável. Confira 5 dicas para mulheres diabéticas que querem ser mãe.

5 dicas para mulheres diabéticas que querem ser mãe (Foto: Divulgação)
5 dicas para mulheres diabéticas que querem ser mãe (Foto: Divulgação)

5 dicas para mulheres diabéticas que querem ser mãe

A gestação é uma fase onde ocorre uma série de transformações no corpo da mulher e, portanto, necessita de inúmeros cuidados para garantir uma gravidez saudável. Quando se trata de uma gestante diabética, as atenções devem ser redobradas por conta da condição da mulher, que também requer cuidados especiais.

Veja o que fazer para cuidar da diabetes na gravidez (Foto: Divulgação)
Veja o que fazer para cuidar da diabetes na gravidez (Foto: Divulgação)

Acompanhamento médico deve ser mais frequente

O monitoramento dos níveis de glicemia é parte essencial da vida de uma pessoa diabética, mas na gravidez isso se torna ainda mais importante por conta das mudanças hormonais do organismo. Além disso, o acompanhamento médico e nutricional deve ser mais frequente. Listamos abaixo 5 dicas para mulheres diabéticas que querem ser mãe.

Confira algumas dicas de atividades que ajudam na gravidez (Foto: Divulgação)
Confira algumas dicas de atividades que ajudam na gravidez (Foto: Divulgação)
  1. As malformações dos fetos de mulheres diabéticas costumam afetar os órgãos que se formam nas oito primeiras semanas de gestação. Por isso é fundamental que a mulher diabética se programe para engravidar em um período em que seu tratamento esteja em dia e a doença sob controle.
  2. É comum as mulheres diabéticas terem medo de que o filho nasça com problemas por conta do diabetes. Esse receio é importante para garantir mais zelo com a saúde, mas preocupação em exagero pode dificultar o tratamento. Portanto, pensamento positivo e otimismo sempre! Nessas horas, o apoio de familiares é fundamental. Se for o caso, a ajuda psicológica também é válida.
  3. Monitorar diariamente a glicemia com aparelhos de uso doméstico é importantíssimo durante a gestação, pois ajudará no controle dos níveis de açúcar no sangue. Da mesma forma, é fundamental a realização de exames periódicos sob a supervisão médica.
  4. A escolha do tipo de parto (normal ou cesárea) é uma escolha da paciente, mas a decisão depende muito do estado de saúde da mãe e do controle do diabetes. Por isso a importância do acompanhamento médico constante – de preferência com médico obstetra com experiência em gestações de risco. Mas saiba que é, sim, possível que uma gestante diabética realize um parto bem-sucedido, sem complicações e com mãe e bebê saudáveis. Basta se cuidar.
  5. Atividades físicas regulares devem fazer parte do cotidiano da gestante. Exercícios como pilates, hidroginástica, caminhadas e alongamento são sempre recomendados – sempre com a orientação de um profissional da educação física para respeitar os limites de cada pessoa.